terça-feira, 14 de março de 2017

Moradores vão à rodovia procurar dinheiro após explosão de carro-forte nesta terça (14)

Moradores foram à Rodovia Carlos Tonani (SP-333), em Barrinha (SP), na manhã desta terça-feira (14) em busca de cédulas que ficaram espalhadas no trecho após o ataque a um carro-forte nesta segunda-feira (13). Durante a ação na noite passada, um grupo fortemente armado explodiu o veículo da Protege e fugiu levando o dinheiro que era transportado. Nenhum suspeito foi preso e um policial militar morreu baleado pela quadrilha.
O local do ataque foi periciado pelo Instituto de Criminalística e dois estojos de munição de fuzil foram apreendidos, além de dinheiro. Cinco armas - uma de calibre 12 e quatro de calibre 38 - foram roubadas da empresa de valores, segundo a polícia. A quantia levada não foi informada.
ViolênciaO carro-forte da Protege tinha carregado valores em Jaboticabal (SP) e outras cidades próximas e retornava para Ribeirão Preto (SP) pela Rodovia Carlos Tonani, por volta das 19h, quando foi ultrapassado por um Honda/CRV prata - com placas não identificadas - na altura do quilômetro 99.
Os assaltantes começaram a atirar na lateral e na parte frontal do carro-forte, forçando-o a sair da pista. O grupo ordenou aos funcionários que saíssem do veículo, que foi explodido em seguida.
"As vítimas saíram correndo. [Assaltantes] Colocaram explosivo no teto do veículo e detonaram. O teto foi encontrado às margens da rodovia a 40 metros do carro-forte", afirmou o delegado Rodrigo Bortoletto.
Com o impacto, cédulas de diferentes valores ficaram espalhadas pela pista e pelo canteiro, o que chamou a atenção de curiosos nesta terça-feira. Pela manhã, em meio às marcas da violência da noite anterior, várias pessoas estiveram no local em busca do dinheiro, sendo que muitas delas, incluindo crianças, chegaram à rodovia a pé.  
“Até agora eu não achei nada não. A gente estava procurando, se achasse era bom, numa crise dessas. Não achei nada, foi viagem perdida”, disse uma das mulheres à beira da rodovia.
“Vim procurar dinheiro, mas não achei. Eu levaria, nem polícia tem mais”, afirmou outra mulher. Segundo o delegado, se identificadas, as pessoas que recolheram dinheiro produto de crime podem responder a inquérito e até serem presas.
*** Informações com G1
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711. Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores