Mulher processa marido por insignificância peniana

A insatisfação de uma mulher com o corpo de seu companheiro trouxe para as mãos da justiça amapaense um caso inusitado, considerado até inédito no Brasil, especialmente considerando o pedido de indenização solicitado por uma das partes.
No município de Porto Grande, no Amapá, uma jovem de 26 anos, processou seu ex-marido, de 53 anos, por insignificância peniana. O casal viveu por dois anos em uma relação de namoro e noivado, e não se envolveu sexualmente em função das crenças religiosas da mulher.

Na legislação brasileira, é considerado erro essencial sobre a pessoa do outro cônjuge quando existe “a ignorância, anterior ao casamento, de defeito físico irremediável ou de moléstia grave”. Tendo como base essa premissa, a mulher pede, não apenas a anulação do casamento, como uma indenização de R$ 200 mil pelos dois anos de namoro e 11 meses de casamento.

Casos frequentes no mundoApesar de não ser muito conhecido no país, processos como esses costumam ser frequentes nos Estados Unidos e no Canadá. A “insignificância peniana” é caracterizada pelo pênis que, mesmo em estado de ereção, não atinge oito centímetros, o que inibe consideravelmente a libido feminina.

*** Informações com 👉 Dol

ATENÇÃO: 👉 SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DE VÍDEOS – 👌 Clique Aqui

Aluga-se excelente Ponto Comercial, localizado na Rua Cel. Pedro Aragão, 1366, Centro Comercial de Ipu, banheiro, ampla área com porta de vidro. Lugar central e ao lado da Fábrica Wolga, coração da Terra de Iracema. 👉 Valor: R$ 400,00. Interessados ligar via: 👉 WhatsApp: Tim (88) 9.9688-9008 e TIM (88) 9.9736-3674.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *