quarta-feira, 14 de abril de 2021

Negligência e negacionismo com covid-19 isolam Brasil na comunidade internacional.

A França anunciou nessa terça-feira (13-04-2021) a suspensão de todos os voos com o Brasil por conta da disseminação da variante brasileira do coronavírus. Para especialista, a medida é um reflexo de como o governo brasileiro vem encarando a pandemia.
Além da medida do governo francês, a identificação de um surto da variante brasileira do coronavírus, a P.1, em um resort de esqui no Canadá levou o estabelecimento a fechar suas portas na última segunda-feira (12).
O advogado especialista em Direito Internacional Público e coordenador do curso de Direito da Ibmec-SP, Alan Vendrame, afirmou que as restrições ligadas ao Brasil são um reflexo do modo como a pandemia vem sendo encarada pelo governo brasileiro, sobretudo pela falta de medidas de controle da disseminação do coronavírus.
De acordo com ele, o governo brasileiro adotou uma "política negligente" ao não realizar uma campanha para estimular uso de máscaras e distanciamento social, não realizando lockdown para conter a disseminação do vírus e não fechando as fronteiras com outros países quando havia tempo de impedir o rápido contágio no território brasileiro.
"Nosso governo praticamente nada disso fez, ao não ser o auxílio emergencial, então qual foi o resultado de tudo isso? O resultado de tudo isso é que nós, infelizmente, nosso país é um viveiro das mutações do coronavírus. Nós somos um laboratório a céu aberto, infelizmente", acrescentou o especialista em entrevista à agência de notícias Sputnik Brasil.
Alan destacou que trata-se de uma "negligência deliberada, que fica evidente pelo negacionismo, que fica evidente pela posição anti-ciência, pela posição, portanto, anti-vida" em relação à pandemia da covid-19.
Ao comentar a decisão do governo francês de suspender os voos com o Brasil, Vendrame destacou que, do ponto de vista do direito internacional público, essas restrições "são absolutamente legítimas e legais".
"Isso é um princípio consagrado no direito internacional público chamado soberania. Os Estados são soberanos, os governos são soberanos para tomar suas decisões dentro dos respectivos territórios", afirmou.
Segundo o profissional, é "absolutamente esperado que um governante faça uma restrição de pessoas vindas de um país cujo governo é negacionista, cuja transmissibilidade segue descontrolada, cujo número de mortos cresce exponencialmente".
O advogado disse acreditar que a tendência do Brasil é continuar isolado da comunidade internacional enquanto a disseminação da nova variante continuar descontrolada.
*** Informações com 👉 AGÊNCIA SPUTNIK BRASIL
ATENÇÃO: 👉 SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DE VÍDEOS - 👌  Clique Aqui
Espaço reservado para a sua propaganda, seja nosso parceiro e veja sua "marca", sua propaganda ganhar foco na grande mídia da internet; afinal!!! "Quem não é visto, não é lembrado". Ligue agora: 👉 (88) 9.9688-9008. O preço cabe no seu bolso.

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

POSTAGENS MAIS LIDAS