terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Pandemia avença em todas as regiões do Ceará; o município de Varjota está na relação de maior incidência da COVID-19.

O movimento de transmissão da Covid-19 de Fortaleza a outras cidades do Ceará foi uma das maiores preocupações do início da pandemia, em março de 2020, e o cenário se repete na segunda onda, iniciada em outubro. Até a manhã desta segunda-feira (22-02-2021), 83 municípios cearenses já têm taxa de incidência de casos maior do que a Capital, e 3 a cada 4 casos confirmados da doença são registrados no interior.

Os dados são do IntegraSUS, plataforma da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), e mostram a proporção entre o número de pessoas infectadas e a população residente de cada município. A taxa, por fim, é calculada a cada 100 mil habitantes, indicando, atualmente, um cenário de alto risco de disseminação da doença nos municípios.
Em Fortaleza, a atual taxa de incidência de Covid é de 4.280 casos a cada 100 mil habitantes. A capital cearense somava, até a manhã de hoje, 114.248 pacientes com infecção pelo coronavírus confirmada, segundo a Sesa.
Municípios do Ceará com maiores taxas de incidência de Covid:
Acarape – 13.483, Frecheirinha – 12.393, Crateús – 9.465, Iracema – 9.295, Moraújo – 9.124, Groaíras – 8.104, Redenção – 8.104, Quixelô – 7.559, Tabuleiro do Norte – 7.554 e Varjota – 7.394.
As taxas são superiores às registradas no Brasil, que tem, hoje, 4.838 casos a cada 100 mil habitantes; e em cada uma das regiões do País. Conforme levantamento do Ministério da Saúde, a incidência da doença no Centro-Oeste é de 6.663 casos/100 mil hab.; no Sul, 6.199; no Norte, 6.128; no Sudeste, 4.193; e no Nordeste, 4.184.
As menores taxas de incidência de Covid-19 são calculadas em Aiuaba, 150 casos e incidência de 862; Pedra Branca, 443 casos e taxa de 1.024/100 mil habitantes; Arneiroz, 87 infectados e 1.109 de incidência; Antonina do Norte, 107 confirmações e 1.455 de incidência; e Trairi, 866 casos e 1.548 de taxa de incidência.
Segunda onda afoga interior - Em se tratando de mortalidade, contudo, é o município de Orós que apresenta o cenário mais grave, considerando a proporção populacional: com 50 óbitos por Covid, a taxa na cidade do Centro-Sul cearense chega a 233 mortes por 100 mil moradores. Fortaleza aparece em segundo lugar, com acúmulo de 4.602 óbitos desde o início da pandemia, cerca de 172 a cada 100 mil pessoas.
Comparando ao cenário nacional, os índices, assim como os de incidência, também são superiores ao País, cuja taxa de mortalidade atual é de 117 óbitos por 100 mil habitantes. Nas cinco regiões brasileiras, a taxa gira em torno de, em média, 199 habitantes mortos por coronavírus a cada 100 mil que habitam no território.
*** Informações com 👉 DIÁRIO DO NORDESTE
ATENÇÃO: 👉 SE INSCREVA NO NOSSO CANAL DE VÍDEOS - 👌  Clique Aqui
Espaço reservado para a sua propaganda, seja nosso parceiro e veja sua "marca", sua propaganda ganhar foco na grande mídia da internet; afinal!!! "Quem não é visto, não é lembrado". Ligue agora: 👉 (88) 9.9688-9008. O preço cabe no seu bolso.

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

POSTAGENS MAIS LIDAS