segunda-feira, 17 de agosto de 2020

A cena causou revolta: Com risco de contaminação, caixão sem lacre contendo paciente que morreu com Covid-19 demora 4 horas para ser sepultado

O corpo de um homem vítima da Covid-19 demorou 4 horas para ser sepultado em um cemitério no Povoado Prata, na zona rural de Altos, no Norte do Piauí. O caso revoltou os moradores da cidade, que apontaram o descumprimento de protocolos sanitários depois que uma imagem do caixão sem lacre viralizou nas redes sociais.
(CORREÇÃO: o G1 errou a informar, ao publicar esta reportagem, que o caixão estava abandonado. Na verdade, a família estava no cemitério e aguardou por 4 horas a chegada dos coveiros. A informação foi corrigida às 13h55 desta última quinta (13).
O caso ocorreu no começo do mês. Gerson Nunes Ferreira, de 84 anos, deu entrada no Hospital Getúlio Vargas no dia 1º após ser transferido do Hospital de Campanha do Verdão, em Teresina. O paciente faleceu no dia 4 de agosto. A morte por coronavírus consta no atestado de óbito e foi confirmada pela unidade.
Ao G1, Adonias Nunes Ferreira, filho da vítima, contou que após a liberação do corpo pelo hospital, ele mesmo fez o traslado do corpo até o cemitério. Ele também disse que ajudou a cavar a cova com os funcionários do local - que usavam apenas máscaras de pano.
"Quando cheguei no hospital, o corpo do meu pai estava lacrado em um saco e com o atestado de óbito por Covid. Arrumei um carro para transportar o corpo até Altos. Eu deixei o caixão no cemitério por volta das 4 h e fui atrás dos coveiros. O enterro só ocorreu 8h", contou. Ele nega que o caixão tenha ficado abandonado.
Conforme os protocolos sanitários, os enterros das vítimas da Covid-19 têm regras: o caixão deve permanecer lacrado e não estão autorizados velórios.Além disso, os coveiros precisam se equipar com máscara cirúrgica, protetor facial, luvas de procedimento, botas impermeáveis de cano longo e avental descartável.
A Prefeitura de Altos informou que só soube da morte por Covid quando já havia sido feito o traslado e o enterro do paciente, por isso não foi seguido o protocolo. O Hospital Getúlio Vargas informou que liberou o corpo para a família e repassou as orientações sanitárias à família.
Adonias diz que não recebeu orientações do hospital para procurar a prefeitura para seguir as regras para enterro de vítima de coronavírus. Então decidiu transportar o corpo e providenciar o funeral, que demorou porque os coveiros não estavam no cemitério.
A prefeitura justifica que demorou porque não tinha sido informada sobre o óbito com antecedência. O cemitério fica em um povoado fora da zona urbana da cidade.
 *** Informações com: G1
Solicite orçamento grátis. É rápido e você se livra da conta de energia. Seja sustentável. Financie 100%. Faça com quem entende. Empresa Lima Solar. Energia Fotovoltaica. Gere sua Energia Solar. Instalação e Projeto.
** Fone: 88-997054824.
** Instagram: limasolaron
** Facebock: limasolar.
** Youtub: limasolar
Início da propaganda: 08-08-2020 e termina em 08-09-2020


0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

POSTAGENS MAIS LIDAS