quinta-feira, 5 de março de 2020

Mãe é suspeita de matar filha recém-nascida com travesseiro no Distrito Federal

Uma mulher foi presa em flagrante por policiais da 24ª Delegacia de Polícia (Setor O) suspeita de matar a própria filha. A criança tinha 46 dias. O caso ocorreu na terça-feira (03/03), em Ceilândia.
Os investigadores foram avisados da morte por volta das 8h da manhã de terça pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu). Uma equipe seguiu até a casa dela e encontrou o bebê sem vida sobre um colchão disposto no chão. Os policiais, então, levaram a mãe para a delegacia. Lá, ela contou que amamentou a criança por volta de meia-noite e a colocou para dormir. Entre e 5h e 6h, notou que a criança não respirava e nem acordava. Assim, acionou o Samu.
O corpo foi recolhido ao Instituto de Medicina Legal (IML) e a perícia, acionada. Por volta das 21h do mesmo dia, no entanto, uma vizinha da mulher procurou os policiais para denunciar que recebeu uma mensagem da suspeita. Segundo o texto, a mãe teria confessado o homicídio e avisou que não poderia ir ao enterro porque precisava viajar para o Ceará. Ela teria sufocado a bebê.
Os investigadores saíram atrás da suspeita, mas só a encontraram na manhã de quarta-feira (04/03). Ao ser interrogada, a mulher modificou a versão e confirmou ter tirado a vida da própria filha, sufocando-a com um travesseiro. Segundo ela, a gravidez da bebê e de outra filha, de 1 ano de idade, foram indesejadas.
Audiência de custódia
A mulher, sem passagens pela polícia, tem outros dois filhos. Em audiência de custódia realizada na manhã desta quinta-feira (05/03), a Justiça concedeu liberdade provisória. Entretanto, aplicou medidas cautelares, como o uso de tornozeleira eletrônica e a proibição de se aproximar dos outros dois filhos.
De acordo com o delegado-chefe da 24ª DP, Raphael Seixas, a suspeita, inicialmente, é de homicídio.
“Ela estava em puerpério tardio. Vamos avaliar se agiu sob influência do estado puerperal, que caracterizaria o infanticídio. Caso contrário, será indiciada por homicídio. Há informações de que ela ia doar a criança após o nascimento, mas a negociação não teria dado certo”, explicou o policial.
O infanticídio, de acordo como artigo 123 do Código Penal, ocorre quando a mãe mata o próprio filho, recém-nascido ou nascente. Para ser tipificado como tal, a mulher precisa praticar o crime durante o parto ou logo após, mas sob influência do estado puerperal.
A pena é de detenção de dois a seis anos. Já a pena de homicídio simples é mais alta. Vai de seis a 20 anos de reclusão, podendo ser aumentada se o homicídio tiver qualificadoras.
*** Informações com: Metrópoles
Atenção - Pedimos aos nossos "Seguidores amigos" que participem do nosso novo Canal de Comunicação de Vídeos do YouTube. Contamos com a inscrição de todos. CLIQUE AQUI. Estamos também trabalhando com imagens aéreas de Drone. Interessados ligar: (..) Tim (88) 9.9916-7711.

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

POSTAGENS MAIS LIDAS