quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Estudante de Medicina é investigado por se passar de médico e atender pacientes em hospitais do interior do Ceará

A conduta de um estudante de Medicina virou alvo de investigação policial desde a semana passada. Cursando o terceiro semestre da graduação, Lucas Félix, de 31 anos, é acusado de atender pacientes ilegalmente em pelo menos três municípios do interior do Ceará: Aratuba, Baturité e Guaramiranga. Segundo as denúncias, o estudante cobria plantões de médicos contratados e convidava colegas de turma para acompanhar sua rotina nas unidades de saúde.
Questionada sobre a investigação policial, a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) informou que foi instaurado inquérito policial na Delegacia Municipal de Guaramiranga para apurar denúncias relacionadas à prática ilegal da Medicina em cidades pertencentes à Área Integrada de Segurança 15 (AIS 15), e que teria como suspeitos estudantes de uma universidade situada em Fortaleza.
Caso seja comprovada a sua responsabilidade no caso, Lucas poderá ser condenado a pena de 6 meses meses a 2 anos de prisão, por exercer a Medicina sem autorização dos órgãos competentes. Procurado pelo reportagem, o acusado disse que somente seu advogado comentará o caso.
O advogado Luiz Nogueira disse que, até o momento, nem ele e nem o cliente foram notificados sobre a investigação. “Não existe conhecimento formal sobre qualquer tipo de investigação”. Ele acrescenta que Lucas só irá se manifestar nos autos do inquérito e quando, de fato, tiver acesso à investigação.
Por telefone, a direção do Hospital Municipal de Guaramiranga também afirmou que não está autorizada a passar informações sobre o caso, em virtude da investigação policial. A coordenação da Unidade Municipal de Pronto Atendimento de Baturité também preferiu não dar declarações, mas disse que a equipe da instituição comparecerá à delegacia em breve para prestar depoimentos.
As secretarias de saúde dos municípios de Guaramiranga, Baturité e Aratuba também foram procuradas pela reportagem, mas ainda não responderam sobre o caso.
Comunidade acadêmica revoltada - A denúncia tem revoltado estudantes do curso de Medicina da Universidade de Fortaleza (Unifor). “Os alunos estão bem incomodados, tanto com a questão dos pacientes quanto pelo nome da universidade”, revela uma estudante membro do Centro Acadêmico do Curso de Medicina da Unifor.
Segundo a aluna, a entidade representativa dos estudantes soube do caso através dos próprios alunos. “Muitos alunos vieram falar. Fomos comunicar para a coordenação, mas a coordenação já sabia e nos disse que a Universidade vai abrir uma comissão para investigar e tomar as medidas institucionais”, pontua ela.
Além da estudante, o Sistema Jangadeiro colheu depoimentos de outros cinco colegas do aluno acusado. Segundo eles, a história que veio à tona na semana passada já era conhecida por alguns. “A gente sabe desde o semestre passado, mas eu morria de medo de denunciar. Ele chegou a convidar outros meninos do nosso curso para acompanhar ele, mas parece que foram só uma vez, viram que era furada e não foram mais”, revela uma estudante que preferiu não ser identificada.
Outro estudante afirma que o acusado disse acreditar que o caso “não vai dar em nada”. “Ele continua matriculado e falando besteira o tempo todo, dizendo que não vai dar em nada, se gabando, porque é réu primário. Estou irritado com essa história. A gente está querendo fazer alguma manifestação para exigir expulsão dele da faculdade”, revela o aluno.
Processo administrativo disciplinar - Por meio de nota, Unifor afirmou que já instaurou processo administrativo disciplinar para apurar as eventuais irregularidades. Segundo a instituição de ensino, caso a denúncia seja comprovada, serão adotadas as medidas cabíveis no âmbito institucional.
No mesmo comunicado, a universidade acrescenta que já notificou o Conselho Regional de Medicina do Estado do Ceará e as prefeituras municipais com as quais mantém parcerias de internato sobre as medidas adotadas neste caso.
*** Informações com TRIBUNA DO CEARÁ
Aluga-se excelente Ponto Comercial, localizado na Rua Cel. Pedro Aragão, 1366, Centro Comercial de Ipu, banheiro, ampla área. Lugar central e ao lado da Fábrica Wolga, coração da Terra de Iracema. ** Valor: R$ 350,00. Interessados ligar: (..) Tim (88) 9.9916-7711 ou TIM (88) 9.9985-0788.
PS.: "Se algum dia você for surpreendido pela injustiça ou pela ingratidão, não deixe de crer na vida, de engrandecê-la pela decência, de construí-la pelo trabalho." (Edson Queiroz).

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

POSTAGENS MAIS LIDAS