sexta-feira, 17 de maio de 2019

Ministério Público desmonta esquema "milionário" de lavagem de dinheiro comandado de dentro de presídios

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) deflagrou, nesta manhã, a Operação Laranjas para desmontar esquema de lavagem de dinheiro comandado de dentro de presídios no Ceará. De acordo com com o órgão, dezenas de laranjas, participavam da ação criminosa. Foram cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão em Fortaleza, Quixadá e São Paulo.
A operação teve apoio da Polícia Civil, da Coordenadoria Integrada de Planejamento Operacional (Copol) e foi realizada por meio do Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc) do MPCE.
Apontado como líder do esquema e um dos alvos de prisão preventiva, Cláudio Aritana (foto ao lado) saiu da CPPL 5 em julho de 2017, quando recebeu livramento condicional, e fugiu para São Paulo. Lá, cometeu novos crimes e voltou a ser preso. Outro mandado cumprido na capital paulista é na casa da amante do criminoso, apontada pela investigação como laranja no esquema.
Preso durante 15 anos em presídios cearenses, Cláudio Aritana respondia pelos crimes de estupro, estelionato e extorsão. Era das unidades prisionais que ele comandava, por telefone, os estelionatos aplicados por outros criminosos. Ele chefiava, também, venda de drogas e celulares em presídios em Pacatuba e Itaitinga. 
Mandados no CearáUm escritório de um despachante no Centro de Fortaleza também foi alvo da operação. As investigações apontam que o local funcionava como cartório clandestino, elaborando escrituras públicas de imóveis registrados em nome dos laranjas. Em Quixadá, município distante 163,5 km de Fortaleza, foi cumprido mandado de busca e apreensão na residência de uma mulher que seria uma das operadoras do esquema. Ela seria ex-amante de Aritana.
A investigaçãoO líder do esquema comprou 10 apartamentos, dois veículos, joias e até uma casa lotérica com o dinheiro obtido por meio dos crimes. A investigação aponta ainda a movimentação de aproximadamente R$ 4 milhões nas contas bancárias de quatro amantes (usadas como laranjas) e outras dezenas de pessoas envolvidas. 
Na conclusão da primeira fase da Operação Laranjas, a 1ª Vara Criminal de Fortaleza recebeu denúncia contra 11 integrantes do grupo por 14 crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa. Outra determinação da Justiça é a indisponibilidade dos 10 apartamentos e os dois veículos comprados com o recurso obtido pelo esquema. Os bens poderão ser confiscados no futuro.
*** Informações com Jornal O Povo
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711 (TIM). Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.8121-9041 (VIVO).
PS.: "Se algum dia você for surpreendido pela injustiça ou pela ingratidão, não deixe de crer na vida, de engrandecê-la pela decência, de construí-la pelo trabalho." (Edson Queiroz).

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

POSTAGENS MAIS LIDAS