quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Choro falso, beijo vetado e 'homem-gorila': Veja quem foi cancelado no tribunal da web

Machismo, homofobia e até uma gafe diante das câmeras são alguns dos vacilos que têm o poder de mandar uma celebridade direto para o banco dos réus do tribunal da internet. Em poucas horas está dada a sentença: cancelado! Em 2019, famosos como o apresentador Rodrigo Faro, o ginasta Diego Hypólito e o ator de Amor de Mãe Juliano Cazarré receberam uma enxurrada de críticas nas redes sociais e perderam admiradores.
Quem também não passou ileso pelo julgamento na web foi o funkeiro MC Gui, que fez um vídeo debochando de uma turista na Disney World, nos Estados Unidos, e causou revolta no Brasil ao ser acusado de praticar bullying.
O influenciador Carlinhos Maia e o humorista Paulo Gustavo acabaram dividindo o mesmo motivo de fúria dos internautas: o suposto veto ao beijo entre dois homens. No caso da celebridade da internet, foi no próprio casamento. Já o comediante preferiu não colocar uma cena do tipo em seu filme e não foi perdoado.
Veja os famosos que foram cancelados pela web em 2019:
Homem-gorila - O intérprete do personagem Magno em Amor de Mãe postou um vídeo, em 2 de novembro, em que um gorila aparece protegendo seus filhotes na hora de atravessar uma estrada. Na legenda, Juliano Cazarré deu sua opinião sobre o papel do homem na família. "A masculinidade é uma construção social... Só que não! Prover e proteger: a masculinidade faz do mundo um lugar mais seguro. PS1: Quem tem um pai legal sabe. PS2: Esse gorila é mais cavalheiro do que muito homem por aí... Dorme com esse barulho", comentou.
Em tempos de questionamento sobre igualdade de gêneros e masculinidade tóxica, o post foi considerado machista por muitos. Mas não foi o suficiente para que o ator mudasse de opinião. Em vez disso, ele fez uma nova postagem e foi ainda mais longe ao dizer que descobriu um suposto plano para "emascular os homens".
"Isso é um plano que está sendo executado com sucesso. Assim que estivermos todos emasculados, vai ficar bem mais fácil implantar um projeto de dominação e poder. Nossos filhos serão criados pelo Estado, e seremos todos escravos", teorizou.
Bolsominion - Diego Hypólito foi cancelado pelo tribunal da internet após posar para uma foto com o presidente Jair Bolsonaro em 20 de novembro. A primeira-dama, Michelle, publicou o registro sem a autorização do ginasta nas redes sociais, e o post viralizou com acusações de que o atleta, que se assumiu homossexual em maio deste ano, teria virado “bolsominion”.
O nome de Diego Hypólito permaneceu entre os assuntos mais comentados do Twitter. A comunidade LGBTQ+ não gostou de ver o atleta com Bolsonaro, que já deu declarações homofóbicas em público.
Em seu Instagram, o ginasta rebateu uma das inúmeras críticas que havia recebido. "Eu não sou da esquerda nem da direita, eu sou de Deus! Sou cheio de erros e defeitos e estou muito preocupado com o esporte no Brasil! Quero poder ajudar pessoas, eu em minha vida serei muito julgado, eu sei. Não sou dono de nenhuma verdade! Ele me chamou, eu só vim! É certo, é errado? Não sei, sou um eterno aprendiz! Respeito tudo e qualquer pessoa achar ou pensar!", disse o ginasta.
'Como tá a audiência?' - Rodrigo Faro foi detonado ao ser flagrado perguntando sobre a audiência do programa Hora do Faro bem no meio de uma homenagem a Gugu Liberato (1959-2019) em 24 de novembro. Aparentemente sem saber que sua imagem estava no ar, o apresentador apareceu consultando a produção, e os internautas conseguiram fazer a leitura labial. "Como é que tá a audiência?", teria dito ele. A gafe pegou mal, e o artista da Record foi acusado de forçar a emoção no ar.
O apresentador se defendeu sobre a gafe dizendo que esse tipo de questão é normal na TV. "A gente vive disso [de ibope], não tem jeito. Faz parte", falou, durante um evento em São Paulo. "Tudo na vida a gente tem que ter a humildade pra ouvir. Acho que essa é a melhor lição que a gente tira de tudo. Eu tenho Deus comigo, sei assimilar uma crítica, entender e tocar a vida. Pedir desculpas a quem se ofendeu e ok", completou o marido de Vera Viel.
Bullying virtual - Guilherme Kaue Castanheira Alves, conhecido como MC Gui, teve um vídeo controverso viralizado nas redes sociais em que aparecia debochando de uma garota que usa peruca e não tem sobrancelhas. Internautas especularam que a criança estaria careca devido a um tratamento de câncer e foram implacáveis.
Na imagem, o funkeiro focava o rosto da menina na Disney de Orlando, na Flórida, onde passava férias em outubro. "Mano, olha isso", dizia ele, enquanto dava risada. A garota parecia constrangida por ser gravada. Ao fundo, era possível ouvir outras pessoas rindo também, até que alguém o mandou parar.
Depois de perder contratos e ter shows cancelados por causa do episódio, MC Gui entrou ao vivo durante o quadro A Hora da Venenosa, do jornal Balanço Geral, da Record, para pedir desculpas. "Acho que tudo é aprendizado mesmo. Me sinto muito constrangido por tudo isso", falou ele.
'Gay que gosta de ser homem' - Segunda maior celebridade mundial do Instagram, o brasileiro Carlinhos Maia começou seu processo de cancelamento em fevereiro, quando assumiu seu namoro com Lucas Guimarães. O gesto, que muitos consideraram corajoso, foi visto pela comunidade LGBTQ+ de maneira negativa. Ele recebeu diversas críticas, inclusive de homossexuais famosos, pelas palavras que usou ao se revelar gay.
"Eu sempre fui homem. Nunca quis ser chamado de viadinho nem de viado. Nunca quis passar na rua e fulano gritar: 'Vai, viadinho'", disse Maia em seu desabafo. "Vocês não vão me ver por aqui botando sainha, salto alto, batom na boca. E não julgo, cada um faz o que quer e é feliz. Quem gosta, ótimo. Seja feliz. Mas eu sou um gay que gosto de ser homem, de me vestir como homem", comentou.
O tribunal da internet condenou definitivamente o influenciador em maio, depois da festa de casamento com Lucas. O casal não deu o tradicional beijo no altar, e a atitude foi considerada homofóbica. Ele alegou que evitou o carinho pois não queria ofender os convidados da cerimônia. Pegou mal...
Casamento sem beijo - O mesmo motivo que levou a web a cancelar Carlinhos Maia, atingiu também Paulo Gustavo. O humorista foi acusado de vetar uma cena de beijo gay do filme Minha Mãe É Uma Peça 3, que estreia nesta quinta (26), após uma entrevista do ator Rodrigo Pandolfo, o Juliano no longa, ao UOL.
"O Paulo optou por não ter o beijo. Entendi depois. Antes, cheguei e questionei: 'Por que não vai ter?'. Ele falou: 'Olha, a gente está fazendo um filme popular. A gente sabe que o Brasil tem questões [relacionadas ao beijo gay] ainda, infelizmente. O Juliano já vai se casar'. Ele não sentiu a necessidade de colocar o beijo e expor publicamente", contou o intérprete de Juliano.
Paulo Gustavo usou sua rede social para se explicar sobre o caso e dizer que a cena não foi vetada, porque ela sequer foi escrita. "Eu não retirei a cena do filme, porque simplesmente a cena não existe. Não tem essa cena no filme. Não é que exista a cena de um casamento, troca de alianças, 'até que a morte os separe' e só não há o beijo", justificou o comediante, que serviu de inspiração para o personagem gay.

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket