terça-feira, 11 de junho de 2019

"Saúde e conhecimento": Saiba quais são as principais doenças do couro cabeludo.

São várias as doenças que acometem o couro cabeludo, algumas raras e outras rotineiras nos consultórios dos especialistas. “Entre as mais comuns temos a dermatite seborreica ou caspa, a alopecia androgenética ou calvície, os eflúvios ou quedas e a alopecia areata”, afirma a dermatologista e tricologista Dra. Kédima Nassif, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Associação Brasileira de Restauração Capilar. “A pediculose, mais conhecida como piolho, também é uma doença frequente nos dias de hoje e acomete principalmente as crianças”, acrescenta a Dra. Paola Pomerantzeff, dermatologista membro da SBD.
Como o couro cabeludo é uma extensão da pele, ele pode ser acometido por diferentes doenças. “Infelizmente, alguns desses problemas possuem um cunho genético e não podem ser totalmente evitados, mas sim controlados. De qualquer forma, uma alimentação saudável e a manutenção de um couro cabeludo limpo são capazes de combater a descamação e evitar algumas causas da queda”, afirma a tricologista. Conheça as principais doenças abaixo:
Dermatite seborreica (caspa) - Uma das principais doenças do couro cabeludo é a dermatite seborreica, mais conhecida como "caspa". “No caso da dermatite seborreica, o couro cabeludo é acometido por descamação em diferentes graus, se torna avermelhado e o prurido é presente”, afirma a Dra. Kédima. “Essa dermatite possui alguns fatores relacionados como alteração na produção de sebo pelas glândulas sebáceas e resposta inflamatória local desregulada. A dermatite seborreica tem predisposição genética, e piora muito com ansiedade e stress”, afirma a Dra. Paola. A doença apresenta-se como áreas avermelhadas e descamativas, podendo apresentar crostas e geralmente com coceira no local. Para tratar a dermatite seborreica, é importante o uso de shampoos específicos indicados pelo médico de 3 a 4 vezes por semana. Após a crise, o shampoo pode ser utilizado 1 vez por semana para prevenção e manutenção. “Além disso, o médico pode prescrever loções e até medicações orais”, diz a tricologista.
Alopecia androgenética e eflúvio telógeno (queda capilar) – Outra patologia bastante frequente e conhecida por todos nós é a alopecia, ou seja, a queda de cabelos maior que o normal. “É habitual haver queda de cabelos diariamente. Vale lembrar que cada fio de cabelo possui um ciclo de vida: fase anágena (fase em que o cabelo cresce), fase catágena (fase de regressão, na qual o cabelo morre), e fase telógena (quando o fio de cabelo novo "empurra" o fio morto e esse cai). Portanto, para um fio novo nascer, um velho deve morrer”, afirma a Dra. Paola. 
Psoríase – A psoríase, doença crônica, não contagiosa, que não tem a causa totalmente esclarecida (está relacionada com a genética, com sistema imunológico e com a resposta inflamatória do organismo), também pode acometer o couro cabeludo além da pele. “No couro cabeludo também se comporta como na pele: com presença de placas avermelhadas e descamativas. Quando o paciente coça, a descamação pode ser bastante intensa”, afirma a Dra. Paola. Infelizmente, não há um meio de evitar a doença, porém as crises podem ser evitadas com estilo de vida saudável (não ingestão abusiva de álcool, evitar tabagismo, não viver com alto nível de stress, praticar atividade física). 
Foliculite – Não menos frequente, a foliculite é a inflamação de um ou mais folículos no couro cabeludo. O couro cabeludo fica avermelhado, inflamado, e pode apresentar "bolinhas de pus", segundo a médica. Na foliculite, dependendo do estágio que se encontra (mais ou menos avançada) são prescritas loções tópicas de antibióticos, e, ácido salicílico também pode ser utilizado. Antibióticos via orais são indicados em quadros mais extensos, mais avançados.
Micose – “Em crianças, e também mais raramente em adultos, pode haver o quadro de Tinha (micose do couro cabeludo). A lesão é localizada, com placas descamativas e perda dos cabelos nessa região afetada. É contagioso e deve ser tratado”, afirma a Dra. Paola. No tratamento, são utilizados antifungícos.
Pediculose (piolho) – Muito frequente hoje em dia, essa doença é causada por um parasita, o Pediculus humanus capitis, mais conhecido como "piolho". “Esse parasita infesta o couro cabeludo da pessoa causando muito prurido. É facilmente transmitido de pessoa para pessoa, e hoje em dia, a contaminação ocorre muito mais devido as "selfies duplas ou coletivas" (as pessoas encostam as cabeças para fotografar)”, afirma a Dra. Paola. O problema pode ser evitado através da higiene e evitando encostar as cabeças nas fotos coletivas. O tratamento da pediculose se faz com antiparasitário tópico e sistêmico.
Por fim, as dermatologistas lembram que qualquer alteração no couro cabeludo deve ser examinada por um dermatologista ou tricologista capacitado para realizar diagnóstico correto e tratamento adequado. “O mesmo sintoma pode aparecer em diferentes doenças. Portanto, não faça seu autodiagnostico”, finaliza a Dra. Paola.
*** Informações com Notícias ao Minuto
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711 (TIM). Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.8121-9041 (VIVO).
PS.: "Se algum dia você for surpreendido pela injustiça ou pela ingratidão, não deixe de crer na vida, de engrandecê-la pela decência, de construí-la pelo trabalho." (Edson Queiroz).

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket