quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Músico faz campanha e traz noiva cubana de volta para casar no Ceará após fim de acordo do Mais Médicos

No município de Catunda, a cerca de 256 km de Fortaleza, o músico cearense Pedro Neto e a médica cubana Yudelkis Gonzalez estavam de casamento marcado, quando precisaram se separar devido ao fim da parceria entre Brasil e Cuba no Mais Médicos. A médica precisou retornar ao país de origem, e o noivo resolveu vender móveis, motocicleta e fazer um bingo para juntar dinheiro e trazê-la de volta ao Brasil.
Após o reencontro do casal, Pedro Neto conta com ajuda dos amigos para financiar despesas da documentação e da cerimônia de casamento.
A médica atuava pelo programa federal em Paraíso, distrito catundense, e conheceu Pedro em dezembro de 2016. Dois anos depois, em junho de 2018, noivaram.
O casal já havia providenciado os documentos para a união civil. "Prometemos um ao outro não desistir enquanto houver possibilidade. Mas as coisas são difíceis, burocráticas. A comunicação é pouca, porque internet lá era difícil, e pra ligar é um absurdo", lamenta Pedro Neto.
O músico realizou uma campanha nas redes sociais e rádios do município para arrecadar recursos e conseguir arcar com as despesas do retorno da noiva. Eles "corriam contra o tempo", já que a documentação de solicitação do casamento perderia a validade em março. O noivo precisou de cerca de R$ 4,5 mil para pagar os custos da volta de Yudelkis, incluindo passagens e custos com a documentação emitida em Cuba.
No sábado (2), com a ajuda da população de Catunda, Pedro completou a quantia necessária, e Yudelkis conseguiu retornar ao Brasil. Ela desembarcou no aeroporto de Fortaleza na madrugada de segunda-feira (4).
Despesas continuamA luta para que o casal tenha a união oficializada, porém, continua, já que as economias acabaram, mas a burocracia das papeladas, não. Para seguir com o casamento, o casal ainda precisa de uma declaração. "Vamos morar em Catunda. A minha família e todo mundo gosta dela", comenta.
Neto também espera conseguir o valor necessário para Yudelkis obter o Título de Medicina do governo Cubano - documento que permite a profissional se submeter ao Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida), e assim, exercer a profissão no Brasil. O custo para obter o título é de 1.100 dólares.
Na época do rompimento do acordo entre Brasil e Cuba, por não ter o diploma válido no Brasil, a médica não conseguiu se inscrever a tempo nas vagas disponíveis para profissionais de saúde estrangeiros no país.
*** Informações com G1-CE
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711 (TIM). Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918 (TIM).
PS.: "Se algum dia você for surpreendido pela injustiça ou pela ingratidão, não deixe de crer na vida, de engrandecê-la pela decência, de construí-la pelo trabalho." (Edson Queiroz).

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket