quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Governador do Ceará diz que 21 presos foram transferidos após ataques e defende endurecer medidas contra celular em presídios

O governador Camilo Santana afirmou nesta quarta-feira (9) que 21 presos de facções criminosas que atuam no Ceará foram transferidos para presídios federais, após uma onda de ataques que atinge o estado há uma semana. O chefe do executivo estadual disse também, em entrevista à Globo News, que o estado vai endurecer as medidas contra a entrada de celulares nas unidades prisionais. A medida de transferência dos detentos já havia sido anunciada pelo governo do estado.
Até a madrugada desta quarta-feira, foram 164 ataques confirmados em 41 dos 184 municípios cearenses. Os criminosos incendiaram ônibus, transportes escolares, prédios públicos e comércios na capital e no interior. A Secretaria da Segurança Pública do Ceará confirmou que 185 suspeitos de participação nos crimes foram detidos.
Durante a entrevista, Camilo Santana relatou que esses ataques criminosos no Ceará são uma reação a uma "ação forte que o governo está realizando dentro do sistema prisional". Segundo o governador, os líderes de facções criminosas que estavam nos presídios do Ceará foram transferidos para unidades federais em outros estados. O Governo Federal já havia oferido 60 vagas nos presídios que administra para receber criminosos que atuam no Ceará.
"Já foram transferidos 21 presos e nós já estamos trabalhando, inclusive, para realizar novas transferências de presos para presídios federais. Isso tem sido ações feitas pelo governo do estado e pelo sistema prisional. O trabalho é transferir presos, líderes de grupos criminosos", afirmou.
Ações nos presídios
Segundo Camilo, o governo está mudando a política de controle e segurança nas unidades penitenciárias, principalmente para evitar a comunicação dos detentos com as ruas. O governador afirmou ainda que o maior rigor no sistema penitenciário faz parte de um plano trabalhado em três eixos na área da segurança pública, iniciado após uma crise no sistema penitenciário, em 2016.
"Dobrei o número de agentes penitenciários, e agora no fim do ano tomei a decisão de que era uma área que precisava de uma intervenção mais forte do Estado. A verdade, é que temos leis muito frouxas hoje no Brasil. Infelizmente, a polícia prende o bandido, mas ele continua a comandar o crime de dentro do presídio. O que eu estou fazendo é cumprir a lei dentro dos presídios", disse.
Desde o início da onda de violência, 191 detentos foram autuados pelos crimes de desobediência, resistência e motim dentro das unidades prisionais do estado. Os indiciamentos ocorreram nas casas de detenções do complexo prisional de Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza. Mais de 600 celulares, drogas e armas foram apreendidas nas cadeias e presídios do estado.
*** Informações com: G1
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711 (TIM). Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918 (TIM) e (88) 9.9292-5553 (CLARO).
PS.: "Se algum dia você for surpreendido pela injustiça ou pela ingratidão, não deixe de crer na vida, de engrandecê-la pela decência, de construí-la pelo trabalho." (Edson Queiroz).

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores