sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Ameaçado de morte, o deputado federal Jean Wyllys desiste de mandato e deixa o Brasil

O deputado federal (PSOL) Jean Wyllys, eleito para seu terceiro mandato, vai abrir mão de seu mandato e sairá do Brasil. O parlamentar afirmou que vai se dedicar à carreira acadêmica. Jean, que sofre ameças de morte já há alguns anos, viu a prática se intensificar desde o assassinato da sua correligionária Marielle Franco, em março do ano passado. As informações são da Folha de S. Paulo, e foram confirmadas pelo JORNAL DO BRASIL.
Segundo informações do PSOL, quem assume o mandato no lugar de Jean Wyllys é o atual vereador e primeiro suplente David Miranda, casado com o jornalista Glenn Greenwald, que é editor do The Intercept. Greenwald foi o responsável pela revelação dos documentos do caso Edward Snowden, que denunciou esquema de espionagem pela NSA, nos EUA.
À Folha, Jean lembrou que o ex-presidente do Uruguai Pepe Mujica o alertou para a preservação de sua vida.
"O [ex-presidente do Uruguai] Pepe Mujica, quando soube que eu estava ameaçado de morte, falou para mim: 'Rapaz, se cuide. Os mártires não são heróis'. E é isso: eu não quero me sacrificar", disse.
Wyllys acrescentou ainda que pesaram em sua decisão de deixar o país as recentes informações de que familiares de um ex-PM suspeito de chefiar milícia investigada pela morte de Marielle trabalharam para o senador eleito Flávio Bolsonaro durante seu mandato como deputado estadual pelo Rio de Janeiro.
"Me apavora saber que o filho do presidente contratou no seu gabinete a esposa e a mãe do sicário. O presidente que sempre me difamou, que sempre me insultou de maneira aberta, que sempre utilizou de homofobia contra mim. Esse ambiente não é seguro para mim", acrescentou.
À Folha, Jean reforçou: "A pena imposta, por exemplo, ao Alexandre Frota não repara o dano que ele produziu ao atribuir a mim um elogio da pedofilia. Eu vi minha reputação ser destruída por mentiras e eu, impotente, sem poder fazer nada. Isso se estendendo à minha família. As pessoas não têm ideia do que é ser alvo disso." Frota foi condenado em primeira instância na Justiça Federal, em dezembro do ano passado, a pagar uma indenização de R$ 295 mil por postar uma foto de Jean Wyllys acompanhada de uma declaração falsa: "A pedofilia é uma prática normal em diversas espécies de animal, anormal é o seu preconceito".
"Como é que eu vou viver quatro anos da minha vida dentro de um carro blindado e sob escolta? Quatro anos da minha vida não podendo frequentar os lugares que eu frequento?", questionou à Folha, acrescentando: "Essa não foi uma decisão fácil e implicou em muita dor, pois estou com isso também abrindo mão da proximidade da minha família, dos meus amigos queridos e das pessoas que gostam de mim e me queriam por perto."
*** Informações com Folha de São Paulo via Jornal do Brasil
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711 (TIM). Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918 (TIM) e (88) 9.9292-5553 (CLARO).
PS.: "Se algum dia você for surpreendido pela injustiça ou pela ingratidão, não deixe de crer na vida, de engrandecê-la pela decência, de construí-la pelo trabalho." (Edson Queiroz).

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket