quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Polícia de SP suspeita que sogros asfixiaram ou enterraram viva assistente social desaparecida

Para a Polícia Civil, o corpo de uma mulher encontrado enterrado em uma casa alugada na Zona Norte de São Paulo é de Márcia Martins Miranda, assistente social e coordenadora do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) do Butantã, Zona Oeste da cidade. Ela estava desaparecida desde o dia 2 de outubro.
A suspeita é a de que ela tenha sido sequestrada e morta pelos sogros por asfixia ou enterrada viva após ter sido golpeada na cabeça. O laudo do IML irá comprovar a identidade do corpo e a causa morte.
Segundo o delegado Mário Sérgio de Oliveira Pinto, do Departamento de Homicídios de Proteção à Pessoa (DHPP), as investigações apontam que Márcia foi sequestrada e assassinada pelos sogros, Maria Izilda Pereira Miranda e Fernando Antônio Martins de Oliveira.
"Nossa investigação chegou a conclusão que o corpo pertence a vítima, mas ainda é necessário o laudo dos exames. Os familiares estão fornecendo para a polícia material."
O casal está preso desde o dia 18 de outubro. A Polícia deve pedir a prorrogação da prisão temporária dos suspeitos.
O crime
Márcia foi arrebatada na manhã do dia 2 de outubro em frente a uma agência bancária, na Avenida Corifeu de Azevedo Marques, na Zona Oeste da cidade. As investigações apontam que ela entrou no veículo dos sogros e não mais foi vista.
A polícia acredita que o casal tenha atraído a servidora com a proposta de criar uma conta bancária para os netos e oferecer uma casa para que ela morasse com os dois filhos, uma vez que estava em processo de separação. As crianças têm 4 anos (um menino) e 9 meses (uma menina).
"Ela foi atraída, convidada a entrar no carro para ver a casa, lá chegando ganharam acesso ao imóvel e provavelmente no último cômodo atingiram a vítima com um golpe na cabeça, e a partir daí ela pode ter sido enterrada viva ou asfixiada", explica o delegado. 
A tese dos investigadores é que o casal tinha obsessão pelos netos. "Eles tinham a vontade de criar os netos como se filhos fossem. Eles tinham essa vontade de ter os netos como se fossem propriedade deles", afirmou o delegado.
Ainda segundo Mário Sérgio, o imóvel teria sido alugado para executar a servidora. Dias após fechar o contrato com a imobiliária, Fernando ligou para uma loja de materiais de construção e comprou cimento e ferramentas para escavação.
"Absolutamente, a premeditação desse crime nos é muito clara. (...) Os criminosos cavaram muito fundo. Além de depositarem o corpo, fizeram uma laje".
O DHPP ainda investiga se o casal agiu sozinho, mas descarta a participação do ex-marido de Márcia. "Não tem indícios de que tenha participado ou tenha instigado os autores a fazer".
*** Informações com: G1
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711 (TIM). Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918 (TIM) e (88) 9.9292-5553 (CLARO).
PS.: "Se algum dia você for surpreendido pela injustiça ou pela ingratidão, não deixe de crer na vida, de engrandecê-la pela decência, de construí-la pelo trabalho." (Edson Queiroz).

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores