domingo, 12 de agosto de 2018

Cenário eleitoral. Com 24 partidos, Camilo "avermelha" o mapa do Ceará nas eleições de 2018.

Embora com cores diferentes, os 24 partidos que representam a base do governador Camilo Santana (PT) devem “avermelhar” o Ceará nos próximos dois meses. Com base nos dados disponibilizados pela Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), o petista deve receber o apoio de 170 gestões municipais.
O percentual chega, em tese, a 92,40% dos prefeitos. Do lado da oposição tucana, o general Guilherme Theophilo (PSDB) deverá receber o apoio dos 14 prefeitos que integram a sigla no interior e Região Metropolitana da Capital.
Em tese porque há as traições. Em outras realidades, o prefeito não tem uma gestão bem avaliada pelo eleitor e os adversários acabam ganhando terreno na localidade. O POVO apurou, entre parlamentares da base aliada e da oposição, que não há número fechado de apoio nem de oposição. A volatilidade antes e durante a campanha eleitoral é mais comum do que se imagina.
Bem avaliado e com a imensa maioria dos prefeitos na base, o então governador Lúcio Alcântara (PSDB) foi derrotado ainda no primeiro turno para o então ex-prefeito de Sobral, Cid Gomes em 2006. “Ninguém garante eleição só pelo número de prefeitos não. Cada eleição é uma eleição. Ninguém pode transpor como foi uma eleição passada para atual”, relembra o tucano que chegou a disputar em 2010, mas foi derrotado novamente no primeiro turno. Nesse caso, em condições mais adversas.
O ex-governador, que é coordenador da campanha do general Theophilo, explica ainda que a atual eleição é implicada por um cenário diferente dos últimos anos e que por isso pode surpreender. “É a crise econômica e política, é um grande número de processos de investigações que estão em curso, há um desencanto da população, há um desgaste dos políticos.
Tudo isso faz um cenário singular nessa eleição”, argumenta o ex-governador.
Vice-líder do governador na Assembleia Legislativa, o deputado estadual José Sarto (PDT) pede cautela mesmo com o amplo apoio no Interior do Estado para o governador que tenta reeleição. O parlamentar argumenta que não há perspectiva sobre como se dará o comportamento do eleitor e que por isso “não existe eleição ganha nem perdida antes do dia”.
“Aparentemente, tem uma ampla coalizão de uma grande maioria dos prefeitos, mas isso não é garantia de vitória nem de derrota. O governador sabe disso, já foi deputado, conhece, e acho que é ter o pé no chão, humildade e ir para a luta, fazer o debate e mostrar o projeto”, disse o deputado.
Em 2014, Camilo foi derrotado na Capital e Região Metropolitana pelo então adversário Eunício Oliveira (MDB).
Foram as articulações com prefeitos no interior que garantiram a vitória apertada, com margem mínima de votos. A oposição, agora representada pelo general reformado, tenta, na RMF, um fôlego para contaminar o interior com o desejo de acatar um projeto diferente do que está posto. 
*** Informações com O Povo
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711 (TIM). Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918 (TIM) e (88) 9.9292-5553 (CLARO).
PS.: "Se algum dia você for surpreendido pela injustiça ou pela ingratidão, não deixe de crer na vida, de engrandecê-la pela decência, de construí-la pelo trabalho." (Edson Queiroz).

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores