segunda-feira, 2 de julho de 2018

Professor do Colégio do Corpo de Bombeiros é demitido por estupro de vulnerável

Em decisão da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário  (CGD), o 1º sargento do Corpo de Bombeiros, Antônio Marcos Silva de Araújo, foi demitido da corporação sob a acusação de ter cometido estupro de vulnerável contra uma aluna de 14 anos. A determinação foi publicada no Diário Oficial do Estado na última sexta, 29 de junho, e deve ter cumprimento imediato, à partir da comunicação formal ao militar. Ele é  professor de educação física no Colégio Militar do Corpo de Bombeiros. Ainda cabe recurso da decisão.
A CGD deve pedir ao Corpo de Bombeiros documentos que comprovem o afastamento do sargento. Apesar de a sentença ter saído somente agora, o crime teria sido cometido há quase três anos, em outubro de 2015. Na época, segundo consta no Diário Oficial, o sargento dava caronas à aluna, da escola para casa, e foi dentro do carro que ele teria praticado o crime. A vítima e a família dela chegaram a realizar um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Combate à Exploração Sexual contra Criança e do Adolescente (Dececa), na época da ocorrência.
No processo consta ainda a fala de uma testemunha da própria corporação. Ela apontou que o sargento teria dito que sentia “atração física pela vítima”. 
O sargento sustenta ser alvo de ódio de uma atleta adulta, que o acusa de ser homofóbico. Por isso, segundo ele afirmou no depoimento, ela teria ajudado a construir o que ele julga ser “um conjunto de ofensas e mentiras”. Ainda de acordo com o Diário Oficial, o militar alega não existir nenhuma prova ou indício do crime, e afirma ser vítima de perseguição.
Rodrigo Bona Carneiro, titular da CGD, discorda do sargento. Ele escreve na sentença que, mesmo não existindo exames que comprovem a materialidade da transgressão, já que o tipo de crime praticado pode não deixar vestígios, o testemunho da vítima possui valor probatório, ou seja, serve de prova no processo. E, como professor e treinador no Colégio Militar, o sargento cometeu  “comportamento totalmente incompatível com o cargo que ocupa”. 
O corregedor escreve ainda que o Conselho de Disciplina “impõe a consequente exclusão dos quadros do Corpo de Bombeiros Militar do Ceará, pois, de seus integrantes, se esperam homens e mulheres que estejam pautados na disciplina, no senso do dever e na noção da missão que tem a cumprir com a sociedade e o bem comum”.
Questionada sobre a demora da conclusão do processo, de quase três anos, a assessoria de imprensa da Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciária (CGD) enviou nota em que afirma seguir “o ordenamento jurídico em todos os procedimentos. A CGD informa ainda que o tempo para conclusão de um processo tem variações conforme o caso específico, pois depende muitas vezes da quantidade de testemunhas de defesa e acusação, e outras variantes”, finaliza.
A assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros afirmou ao O POVO que não iria se manifestar já que todo o processo corre por meio da Controladoria.
*** Informações com O Povo
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711 (TIM). Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918 (TIM) e (88) 9.9292-5553 (CLARO).

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores