terça-feira, 26 de junho de 2018

Mãe diz que brasileiro foi internado à força em hospital psiquiátrico na Rússia; o engenheiro cearense Leonardo Pestana, de 27 anos.

Familiares e amigos fazem uma campanha nas redes sociais pela liberação do engenheiro cearense Leonardo Pestana, de 27 anos, que teria sido detido e internado à força em uma instituição psiquiátrica na Rússia. "Só isto que eu estou pedindo: que as autoridades liberem o meu filho. Ele tem que voltar para casa. Esse é o meu desespero", diz a mãe do rapaz, a funcionária pública Fátima Pestana.
Segundo ela, Leonardo foi abordado por autoridades russas quando se preparava para embarcar no aeroporto de São Petersburgo em um voo de retorno ao Brasil, que teria Fortaleza como destino final. Nesse momento, ele teria avisado a família por meio de uma mensagem no WhatsApp. As autoridades teriam alegado que o brasileiro teve um "comportamento estranho" no local, sem informar detalhes.
Depois, o engenheiro teria sido levado a um hospital e, na sequência, encaminhado para uma instituição de tratamento psiquiátrico. "Não tiveram nem a dignidade de informar à família. O meu filho ficou 24 horas lá, sem eu saber notícia dele, tive que acionar a embaixada", conta.
Nesse período, teria sido permitido que Leonardo falasse com a família apenas no dia 18, no qual teve uma rápida conversa com a mãe. "Não entendo isso, como não podem deixar um filho falar (com a mãe)?", questiona Fátima. "Quando a embaixada encontrou, o meu filho mal conseguiu falar comigo", lembra.
Segundo Fátima, um médico da família conseguiu conversar por telefone nesta segunda-feira, 25, com outro médico responsável por Leonardo na Rússia. Segundo ele, o rapaz ainda não teria sido diagnosticado, mas precisaria permanecer por mais duas semanas no país para tratamento de saúde.
A família reivindica, contudo, que o brasileiro seja liberado o quanto antes para, caso necessário, ser tratado no Brasil. De acordo com a mãe, o engenheiro nunca apresentou qualquer sintoma de algum transtorno ou doença psíquica. "Tem muitas contradições, não dá para engolir", diz.
Ainda de acordo com Fátima, Leonardo viajou para a Rússia em abril com o objetivo de fazer um curso de russo e pesquisar sobre a possibilidade de estudar Medicina no país. À família, ele teria dito que a graduação no leste europeu seria muito mais barata do que em instituições brasileiras. "Era um sonho dele", conta a mãe.
O rapaz era filho único e havia se formado em 2017 em Engenharia Ambiental e Sanitária pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará. Além disso, teria estudado inglês durante um semestre no Canadá. "Ele nunca deu problema, nunca teve problema por aqui", diz a mãe.
A princípio, Fátima foi contra o filho ir para a Rússia, por considerar o país "muito complicado", "muito rígido". Até a detenção, mantinha contato regular com o rapaz, que viajou apenas com o bilhete de ida e havia comprado a passagem de retorno há poucos dias.
"A gente estava sempre se falando no WhatsApp. Não estava achando legal, não estava bem, que não estava se sentindo à vontade, que não o pessoal não foi hospitaleiro. Então ele falava que tinha que vir embora", lembra a mãe.
*** Informações com Hoje em Dia
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711 (TIM). Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918 (TIM) e (88) 9.9292-5553 (CLARO).

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores