terça-feira, 10 de abril de 2018

Entidade repudia ataques a jornalistas que cobriam prisão de Lula

A organização de defesa à liberdade de expressão Repórteres Sem Fronteiras (RSF) denunciou nesta segunda-feira (9), as agressões contra jornalistas durante a cobertura da prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado pela Operação Lava Jato. A instituição condenou o comportamento de manifestantes como “intolerável” e pediu que as autoridades respeitem o trabalho da imprensa.
No sábado (7), ao menos oito jornalistas foram agredidos física ou verbalmente em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, informou a RSF. Outros ataques semelhantes foram registrados desde a quinta-feira (5), quando foi decretada a ordem de prisão contra o ex-presidente. O Brasil é um dos piores colocados no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa feito pela RSF — o país é o 103º, entre 180 avaliados.
“Os jornalistas brasileiros são injustamente tomados como alvo, vítimas da indignação dos manifestantes que os associam diretamente à postura editorial dos veículos para os quais trabalham. Se trata de um atentado grave à liberdade de imprensa, direito tão necessário nesses tempos turbulentos”, declarou Emmanuel Colombié, Diretor Regional do Escritório para a América Latina da Repórteres sem Fronteiras, segundo a organização.
A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) também repudiou as agressões e hostilidades aos profissionais de imprensa. “A Abraji vê com preocupação o desrespeito contínuo a jornalistas por parte de diversos setores da sociedade. Com agressões, hostilidades e intimidações a profissionais da comunicação, perdemos todos, com a fragilização de um dos pilares da democracia: a liberdade de expressão.”
Em defesa do petista, o Sindicato de Jornalistas de São Paulo condenou as agressões, mas responsabilizou a “política editorial” dos veículos de comunicação para o qual os profissionais trabalham. “Para impedir que casos de agressão e tentativas de censura se repitam é preciso que se retome a  democracia, o que só será possível com Lula livre e com a garantia de o povo brasileiro poder votar legitimamente nas eleições de 2018”, disse a direção do sindicato em nota oficial.
CuritibaNo sábado, jornalistas também foram agredidos durante a chegada de Lula à Superintendências da Polícia Federal em Curitiba, onde está preso. O sindicato da categoria no Paraná reportou que bombas de gás foram lançadas contra as pessoas na rua e em direção à casa em que estavam concentrados muitos jornalistas. “Muitos profissionais ficaram expostos a riscos e completamente vulneráveis frente à atuação policial. Uma das bombas lançadas pelos policiais atingiu diretamente um jornalista que participava da cobertura.”
“Para a entidade, agredir jornalista é um atentado à liberdade de expressão. O SindijorPR alerta que impedir o trabalho de profissionais da imprensa representa grave violação ao direito à informação e ao livre exercício profissional. O jornalista não está nesse local para defender um lado ou outro, mas para informar a sociedade sobre os fatos de seu interesse”, disse o sindicato em nota.
*** Informações com O Estadão e Revista Veja
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711 (TIM). Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918 (TIM) e (88) 9.9292-5553 (CLARO).

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores