quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Temer sanciona lei que permite capitalizar Caixa com recursos do FGTS

presidente Michel Temer sancionou nesta quinta-feira (4) lei que autoriza a capitalização da Caixa Econômica Federal com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), desde que com autorização do Conselho Curador do fundo. A informação é da assessoria do Palácio do Planalto.
Conforme o texto aprovado pelo Congresso Nacional, a capitalização da Caixa por meio de recursos do FGTS será de até R$ 15 bilhões.
A medida visa atender a novas regras de controle estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e que exigem que a Caixa aumente o nível de capital próprio para conseguir seguir emprestando recursos a clientes e financiando projetos. O objetivo é reduzir o risco de liquidez do banco.
De maneira geral, os bancos têm um teto de valor que podem emprestar a clientes em relação ao capital próprio.
Nos últimos anos, o valor da carteira de crédito da Caixa subiu, mas o capital próprio do banco, no qual os empréstimos estão lastreados, não aumentou na mesma proporção.
Atualmente, a carteira de crédito da Caixa é de cerca de R$ 750 bilhões, de acordo com a assessoria do banco.
Para continuar emprestando, portanto, a Caixa precisa aumentar o capital próprio. E a injeção de recursos do FGTS vai contribuir para isso. O banco também deve adotar outras medidas, entre as quais o uso dos lucros obtidos em suas operações.
Nos próximos quatro anos, a Caixa estima que serão emprestados cerca de R$ 325 bilhões somente em linhas de crédito ligadas ao FGTS, entre as quais obras de mobilidade e infraestrutura, além de habitação. Para que essas operações sejam feitas, o banco vai precisar de capital próprio de R$ 25 bilhões.
TCU analisa operação
Em dezembro, o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Benjamin Zymler informou que o Ministério do Trabalho e a Caixa vão aguardar o aval da Corte para concretizar um empréstimo do FGTS ao banco público. De acordo com o ministro, o tribunal avaliará a legalidade da operação.
Segundo Zymler, o tribunal ainda avaliará a legalidade da operação. O ministro afirma que o empréstimo "envolveria elevados riscos para o FGTS".
A Caixa confirma que processo ficará parado até que receba aval do TCU. O banco conta com esses recursos para manter o volume de empréstimos concedidos e atender às regras prudenciais do sistema financeiro.
O FGTS é uma espécie de poupança do trabalhador. Todo mês os empregadores depositam o equivalente a 8% do salário do funcionário, que pode sacar o dinheiro quando for demitido sem justa causa, se aposentar, contrair doença grave ou comprar um imóvel.
Segundo o autor do projeto de lei sancionado por Temer, deputado Fernando Monteiro (PP-PE), a medida permitirá à Caixa a ampliação dos empréstimos para habitação, saneamento e infraestrutura.
Monteiro teve audiência nesta quinta, no Palácio do Planalto, com Temer, o presidente da Caixa, Gilberto Occhi, e o ministro Moreira Franco (Secretaria-Geral).
  ***** Informações com: G1
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711. Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918. Nosso site e nossa empresa não tem conotação política partidária com nenhum Grupo Político.

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores