terça-feira, 25 de julho de 2017

Rejeição a Temer chega a 94% dos brasileiros, diz pesquisa.

Levantamento feito na primeira quinzena de julho, antes mesmo do aumento do PIS/Cofins sobre combustíveis, mostrou que 94% dos entrevistados reprovam a atuação de Temer à frente do governo, um ponto porcentual a mais que na pesquisa realizada um mês antes.
"Identificamos que os efeitos da crise política e da delação premiada de Joesley Batista ainda se mantêm. Esse quadro tende a se manter nos próximos meses com a pauta do aumento de impostos", disse Danilo Cersosimo, diretor da Ipsos Public Affairs, responsável pelo Pulso Brasil.
Além disso, foram analisadas a popularidade de 33 nomes listados entre políticos e personalidades públicas. Os mais populares são o juiz federal Sérgio Moro (64%), o apresentador Luciano Huck (45%), o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa (44%), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (29%), a presidente do STF, Cármen Lúcia (28%), e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot (24%).
Na contramão, os mais impopulares são o próprio Michel Temer (94%); o deputado cassado Eduardo Cunha, do PMDB-RJ, que está preso (93%); o senador do PSDB-MG Aécio Neves (90%); o senador do PMDB-AL Renan Calheiros e a ex-presidente Dilma Roussef empatados com 80%, e o senador do PSDB-SP José Serra (75%).
A pesquisa aponta também que, para 95% dos brasileiros, o País está no rumo errado. O nível se manteve em relação ao levantamento feito um mês antes. Com margem de erro de 3 pontos percentuais, a pesquisa realizou 1.200 entrevistas em 72 municípios brasileiros.
ArticulaçãoA uma semana da votação da denúncia por corrupção passiva na Câmara, Temer acredita que as ligações que fez a parlamentares apresentando sua defesa resultaram na redução de 80 para 60 do número de deputados indecisos, afirmou, ontem, o vice-líder do governo na Casa, Beto Mansur (PRB-SP).
Temer está ligando para deputados indecisos. Na conversa, o presidente apresenta sua defesa e pede que os parlamentares a leiam. Diz ainda que é inocente e ressalta que é importante que deputados votem com consciência, convencidos de que ele não cometeu crime.
Para barrar a denúncia, o governo precisa de, no mínimo, 172 votos. Mansur diz que o Palácio do Planalto já contabiliza cerca de 280 votos. Temer, contudo, quer rejeitá-la com um placar maior, de 300 deputados, para dar uma demonstração de força política contra a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR).
No esforço para angariar mais governo, Mansur disse que o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, convocará uma reunião de líderes da base aliada para fazer uma contagem de votos. O encontro, disse, está previsto para amanhã.
FolgaConfiante na derrubada da denúncia contra Temer, os principais articuladores do governo na Câmara aproveitaram os últimos dias de recesso para sair de folga. Sem seus titulares, Temer assumiu para si a responsabilidade de ligar diretamente para os deputados pedindo apoio.
O líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), saiu de férias com a família e avisou que só voltará no final da semana. Já o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, aproveitou os dias de cúpula do Mercosul na semana passada em Mendoza, na Argentina, para esticar a estadia e descansar. Sem os principais titulares da coordenação política, Temer tem contado nestes dias com os vice-líderes do governo Beto Mansur (PRB-SP) e Darcísio Perondi (PMDB-RS). Outro membro da "tropa de choque" governista presente nos corredores do Congresso e do Palácio do Planalto é o vice-líder do PMDB na Câmara, Carlos Marun (MS).
Segundo Mansur, o grupo segue trabalhando no monitoramento do base aliada na semana que antecede a votação da denúncia no plenário e as ausências dos titulares não prejudicam a estratégia do governo. "Está difícil achar deputado", comentou Mansur.
***** Informações com o Diário do Nordeste
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711. Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918. Nosso site e nossa empresa não tem conotação política partidária com nenhum Grupo Político.

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores