domingo, 25 de junho de 2017

Clandestinidade na comercialização de água mineral preocupa quem investe no Ceará.

O surgimento desordenado de empresas de águas adicionadas de sais e a falta de uma fiscalização efetiva tem enfraquecido o mercado legal da água no Ceará. É o que alegam fontes ligadas ao setor. 
Empresas dos dois segmentos são obrigadas a dividir espaço com as adicionadas de sais clandestinas. “O mercado está canibalizado. Tem dono de fonte esperando outros fecharem para começar a ter lucro. 
Não temos preço de venda pela quantidade de fontes de águas  adicionadas”, critica o proprietário da Água Vitória, enato Barreira. 
De janeiro de 2012 a maio de 2017, o número de marcas de águas adicionadas de sais mais que quadruplicou no Ceará. Há cinco anos, eram 30 regularizadas pela Vigilância Sanitária. Hoje, este número saltou para 113. Enquanto isso, a quantidade de empresas de água mineral passou por uma retração no período, caindo de 18 para 16, conforme indica lista atualizada e divulgada mensalmente pela Sesa. O critério para estar na lista é ter alvará sanitário – com validade um ano – atualizado. Bem tratada é saudável O principal motivo para o crescente surgimento de marcas de água adicionadas de sais é a facilidade para instalar uma unidade produtora, aponta José Júlio, presidente do Instituto Água (IA). “É muito mais simples do que o que é exigido para a água mineral, que é retirada por meio de um sistema de alto controle de assepsia, de qualidade microbiológica”. Entretanto, pondera que, se bem tratada, a água adicionada de sais também tem qualidade e é saudável.  
Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais (Abinam), Carlos Alberto Lancia diz que, embora a produção de água adicionada de sais esteja liberada há 21 anos no Brasil, ainda não há uma regulamentação específica e detalhada do processo produtivo. “É desleal. Uma água mineral vai custar cem vezes mais por conta da tubulação de inox, maquinário, mas a adicionada de sais é mais barata. Isso existe por falta de fiscalização”. 
Em nota enviada ao O POVO, a Sesa informou que a Vigilância Sanitária realiza inspeções, conforme a solicitação de alvarás sanitários, renovados anualmente. E que “os critérios de fiscalização são os mesmos para ambas as águas (mineral e adicionada de sais), de acordo com a legislação específica de cada atividade”.
*** Informações com O Povo
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711. Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918.

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores