quarta-feira, 17 de maio de 2017

MPF anexa a processo foto de Lula e Pinheiro no sítio de Atibaia

O Ministério Público Federal anexou a um dos processos a que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva responde na Operação Lava Jato uma foto que mostra o petista e o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro, juntos no sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP). A imagem está incluída em um relatório da Polícia Federal datado do dia 23 de março, que será analisado pelo juiz federal Sergio Moro. Segundo as investigações da Lava Jato, o pecuarista José Carlos Bumlai e as empreiteiras OAS e Odebrecht reformaram o imóvel rural, que tem como donos dois sócios de Fábio Luís Lula da Silva, primogênito do ex-presidente, mas que pertenceria ocultamente a Lula.
Em seu depoimento à Polícia Federal quando foi alvo de condução coercitiva, em março de 2016, Lula declarou que havia recebido Léo Pinheiro no sítio uma vez, em um churrasco, ocasião em que a foto pode ter sido feita, conforme o relatório da PF. Ao falar a Moro, na semana passada, o petista preferiu não comentar sobre a propriedade no interior paulista, mas reconheceu que recebeu o empreiteiro em seu apartamento, em São Bernardo do Campo (SP), para discutir “a questão da cozinha lá de Atibaia”.
Além da foto, na qual o petista e Pinheiro, indicados por setas vermelhas, aparecem ao lado de dois homens, o documento da PF inclui mensagens de executivos da OAS em que eles citam a visita à propriedade e duas fotos de Lula ao lado do ex-engenheiro da empreiteira Paulo Gordilho, responsável por parte das obras no sítio Santa Bárbara (veja abaixo). Em mensagens trocadas com sua filha, Isnaia, Gordilho diz que iria a um churrasco “na fazenda de Lula”.
No depoimento à PF no ano passado, o ex-presidente havia respondido que não conhecia Gordilho ou qualquer ex-diretor da OAS. A Sergio Moro, Lula ponderou que o engenheiro acompanhou Léo Pinheiro na visita a seu apartamento no ABC paulista. “[Pinheiro] Visitou. Mas, veja, eu nem me lembrava da visita. É que no depoimento dele, ele dizia que foi lá em casa e depois o doutor Paulo… que disse que foi lá em casa. Como os dois disseram, eu não me lembro, mas eles disseram que foram. Também não quero desmenti-los. Se foram, foram”, relatou o petista ao magistrado.
“São esses os elementos por ora identificados nos presentes autos, que apontam, em síntese, pagamento de benfeitorias nos imóveis investigados por parte de José Carlos Bumlai, OAS e Odebrecht da ordem de R$ 1.266.481,32”, conclui o relatório assinado pelo delegado da PF Márcio Adriano Anselmo.
Embora os procuradores tenham anexado o documento a este processo, ele não trata do sítio de Atibaia, mas das reformas no tríplex 164-A do edifício Solaris pela OAS, cujo dono também seria Lula, e o armazenamento do acervo presidencial do petista, bancado pela empreiteira em uma empresa de transportes em São Paulo.
Conforme o MPF, as vantagens indevidas ao ex-presidente nos casos tríplex e acervo chegaram a 3,7 milhões de reais, abatidos de uma “conta da propina” mantida pela OAS e o PT. O valor teria sido desviado de três contratos da Petrobras com a empreiteira na construção das refinarias Abreu e Lima (Rnest), em Pernambuco, e Getúlio Vargas (Repar), no Paraná.
Além de Lula, Pinheiro e Gordilho, são réus neste processo os ex-executivos da OAS Fábio Hori Yonamine e Agenor Franklin Magalhães Medeiros, o advogado Roberto Teixeira, que defende o petista, e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto.
Reuniões desmentem LulaAlém do relatório da Polícia Federal com fotos de Lula no sítio de Atibaia, a força-tarefa da Operação Lava Jato anexou ao mesmo processo ao menos 23 registros de agenda de diretores e presidentes da Petrobras que mostram reuniões com o ex-presidente. Os documentos desmentem o que o petista disse a Sergio Moro na quarta-feira da semana passada.
Ao juiz federal, Lula afirmou que “nos oito anos que eu fiquei na Presidência da República, a gente não tem reunião com a diretoria da Petrobras. Eu em oito anos tive dois momentos”. Os documentos que registram compromissos da estatal apontam que o ex-presidente se reuniu diversas vezes com diretores investigados pela Operação Lava Jato, como Paulo Roberto Costa, Jorge Zelada e Renato Duque.
*** Informações com Revista Veja


Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711. Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores