quarta-feira, 3 de maio de 2017

Declarações polêmicas: Detetive português culpa os pais pela morte de Maddie e conta como eliminaram o corpo

O ex-detetive português Gonçalo Amaral afirmou que o corpo de Maddie McCann foi cremado. O ex-chefe da Polícia Judiciária portuguesa disse isso em uma entrevista televisiva, que vai ser emitida e promete aumentar mais ainda a angústia de Kate e Gerry McCann, os pais da menina inglesa, que está sumida desde maio de 2007. Poucas horas depois do casal McCann revelar que eles ainda não perderam a esperança de encontrar Maddie, o detetive declarou publicamente como eles se livraram do corpo da menina.
Para Gonçalo Amaral, a chave para a descoberta sempre esteve na igreja da praia da Luz.
É um dos maiores mistérios deste século, mas um detetive parece que tem a resolução para contar para todo o mundo. Gonçalo Amaral liderou a primeira investigação, quando Maddie McCann desapareceu em maio de 2007, na praia da Luz, no Algarve. O português era um dos policiais mais importantes do país e, mais tarde, acabou sofrendo várias represálias por causa da investigação sobre a menina inglesa. Sem esconder nada do que pensava, Amaral fez a investigação sem olhar a nomes. Quando levantou suspeitas sobre uma eventual culpa dos pais da menina no caso, a polícia inglesa tomou conta da investigação e ele acabou saindo de cena.
No entanto, ele tinha ainda muito por revelar. Escreveu um livro, onde contou muito de sua investigação, culpando os pais da criança e adiantando que eles sabiam bem onde ela estava. Por causa disso, os McCann colocaram um processo na Justiça contra o detetive português, que acabaram perdendo. Agora, em um programa de TV, ele revelou exatamente o que ele acredita ter acontecido com a pequena Maddie que, na época, estava com três anos. Amaral disse que ela pode ter sido escondida no caixão de outra mulher britânica, quando ela foi cremada. Ele contou que a igreja onde os pais de Madeleine estiveram rezando era a chave de toda a investigação.
"Tínhamos informações de que três figuras entraram na igreja por uma porta lateral à noite. Eles tinham uma caixa, e estava para acontecer uma cremação de uma mulher britânica. É possível que os restos da criança estivessem nesta caixa e fossem cremados também. Os pais tinham a chave da igreja", relata o policial, em declarações citadas pelo jornal The Sun.
A alegação é a mais recente faísca em uma longa disputa entre Amaral e Kate e Gerry McCann. Amaral, de 57 anos, afirmou no livro 'A Verdade da Mentira' que Madeleine morreu na casa de férias dos McCann, e que Kate e Gerry a esconderam. Os McCann entraram com um processo de difamação contra Amaral em 2015, que acabariam perdendo. Depois disso, Gonçalo Amaral pôde processar os McCann pelos danos causados.
No entanto, às vésperas do décimo aniversário do desaparecimento da menina, os McCann dizem que vão regressar na Justiça contra Amaral e o detetive parece que vai respondendo com a sua "verdade", que certamente vai abalar os McCann.

***** Informações com: Blastingnews
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711. Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918. Nosso site e nossa empresa não tem conotação política partidária com nenhum Grupo Político.

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SEBRAE - CEARÁ

Meus seguidores