segunda-feira, 21 de novembro de 2016

"Crise Hídrica": Seca excepcional já atinge 55% de todo o Ceará. Alerta.

O cenário da estiagem é cada vez mais grave no Ceará. Tanto que o nível seca excepcional, o grau de maior severidade, já atinge 55% do território cearense. Os dados são do Monitor de Secas do Nordeste, mapa atualizado relativo a outubro, elaborado pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). O Mapa indica que 100% do Estado está afetado em categorias grave, extremo e máximo, sendo os dois últimos correspondendo a 79% da área total.
Só para se ter ideia da magnitude do problema, em setembro, a seca já atingia a totalidade do Ceará, no entanto, parte da região Nordeste apresentava grau moderado. Agora, o quadro piorou e o mesmo espaço enfrenta seca grave. A falta de chuvas, aponta o mapa, abrange inclusive toda faixa litorânea, sendo de Fortaleza em direção às praias do litoral leste já com grau extremo. "É uma conjuntura complicada", reconhece o meteorologista da Funceme, Raul Fritz.
Ele destaca que o avanço da seca no Nordeste já era esperado porque, historicamente, a distribuição mensal de chuva no mês de outubro na maior parte da região é inferior a 75mm. "Em algumas áreas, como no norte do Maranhão, centro-norte do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e no extremo norte da Bahia, os índices pluviométricos são inferiores a 25mm. Sendo a pior situação a de Pernambuco, onde 90% do território registra nível excepcional".
Fritz indica que serão necessários dois meses de chuvas ininterruptas, pelo menos dentro da média histórica de 200 mm/mês, somando no bimestre 450mm, para que o Ceará consiga alcançar o chamado nível de segurança hídrica. Por enquanto, não existe definição de como será a quadra chuvosa do Estado, entre fevereiro e maio.
O El Niño, garante, está descartado; entretanto, La Ninã ainda se apresenta fraca mas, mesmo assim, se essa condição perdurasse até fevereiro/março, ajudaria bastante. "Porém, pelo observado até agora, há uma maior probabilidade de neutralidade no Oceano Pacífico, o que não é de todo ruim, pois isso indica qualquer situação abaixo, na média ou até acima de média. Nossas esperanças se voltam também para o Atlântico. Vamos aguardar até janeiro para ter melhor avaliação".
IrregularidadeFritz acrescenta que um dos problemas observados no Ceará é que as precipitações são irregulares, ou seja, chove bem em uma região e em outra não. "No Castanhão, por exemplo, é pior em comparação com a Ibiapaba. Isso sem falar que o solo está saturado. É preciso chover bem para a água infiltrar no solo e assim poder escorrer em direção aos rios e outros mananciais". 
*** Informações com Diário do Nordeste
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711. Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores