segunda-feira, 24 de outubro de 2016

"Dengue, Zica e Chikungunya": 198 pessoas no Ceará são infectadas por dia

Uma coisa é certa: não se pode abaixar a guarda contra o Aedes aegypti. No Ceará, em média, por dia, 198 pessoas são infectadas pelo mosquito e sofrem com uma das doenças transmitidas por ele: dengue, chikungunya ou zika. Os dados são dos boletins epidemiológicos da Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) referentes ao período de janeiro a 15 de outubro desse ano. Somente a primeira arbovirose contabiliza 110 ocorrências positivas por testes laboratoriais diariamente, com 20 óbitos.
Em relação ao ano passado, houve uma redução de 34,8% dos casos confirmados, passando de 50,5 mil para 32.9 mil. No entanto, o que redobra as preocupações de infectologistas e da própria Sesa são as mudanças nas gestões municipais e o momento atual, com o fim do ciclo de trabalho anual e o planejamento do próximo.
Segundo a veterinária Ricristhi Gonçalves, do Núcleo de Controle de Vetores (Nuvet), da Sesa, a maioria dos municípios já começa a desmontar as equipes de endemias, reduzir visitas domiciliares, com prejuízos diretos nas ações de combate ao Aedes. Por isso, informa, o órgão estadual de saúde irá conversar com o Ministério Público do Ceará (MPCE) e Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece) no sentido de buscar o diálogo com os prefeitos não reeleitos e com os que irão tomar posse em janeiro para que eles não descuidem da área da saúde e, principalmente, das ações de combate ao mosquito. "A situação agora é sim, de preocupação. Vamos passar por essa fase de transição, mas eles não podem ser pegos de surpresa, com aumento de casos e óbitos, se não tomarem medidas para estruturarem suas equipes com urgência ou não acabarem com as que estão atuando".
Ela adianta que a Sesa já começou o planejamento estratégico visando 2017 e até a segunda quinzena de novembro irá divulgá-lo. "Mesmo assim, não se pode diminuir o ritmo do trabalho desse ano e alertando a população para os perigos com armazenamento de água ou limpeza de quintais", frisa. A apreensão diante de possíveis desmontes das máquinas municipais também é de infectologistas.
O médico e professor Anastácio Queiroz reafirma que o cenário é alarmante. "Com os casos que não têm redução significativa e modificações nas prefeituras, com muitos novos eleitos que ainda terão que formar equipes e se inteirarem da situação, não tenha dúvida que teremos prejuízos enormes".
ProblemasPara o médico, é preciso envolver os novos eleitos e conscientizá-los sobre os perigos em todas as áreas, mas, principalmente, se o trabalho já desenvolvido contra o Aedes aegypti for interrompido. "Teremos problemas sim, mas pelo menor que não sejam tão graves", diz.
Ainda sobre os boletins da Sesa referentes à dengue e chikungunya, os números são altos. A Capital detém 61% dos casos da segunda doença. No total, o Ceará registra 24.772 confirmações, sendo 15.140 somente em Fortaleza, com dez óbitos e incidência de 584,3 por cada grupo de 100 mil habitantes.  
*** Informações com Diário do Nordeste
Acompanhe as notícias diariamente do Portal de Notícias Aconteceu Ipu pela rede social: #AconteceuIpu (Facebook da nossa redação). Entre em contato pelo whatsapp: (88) 9.9916-7711. Contrate também nosso Departamento de Marketing para cobertura de eventos pelo telefone: (88) 9.9600-1918

0 comentários:

SITES OFICIAIS E REFERÊNCIA

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

SITES E PORTAIS DE NOTÍCIAS

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

RÁDIOS PARCEIRAS DO AI

Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket Photobucket

Meus seguidores